Três filmes brasileiros para ver em casa no aconchego do inverno

25 Jun, 2020

filmes-cinema-blog.jpg

O cinema brasileiro, nos últimos anos, tem se firmado cada vez mais, no Brasil e no exterior, como uma produção rica, pujante e diversa. Seja através de seleções e prêmios nos principais festivais de cinema do mundo – como Cannes, Berlim e Veneza –, seja em recordes de público em sua vertente mais popular, o cinema brasileiro deixou para trás o estigma de uma produção de baixa qualidade para se mostrar um motivo de orgulho, resultado de anos de políticas públicas que enxergaram no cinema não apenas uma forma de valorizar nossa cultura, mas também como uma indústria geradora de empregos e renda.

Nos últimos anos, entretanto, essa produção vem sendo estrangulada em função do desmonte da qual a cultura como um todo vem sendo vítima. Extinção de fundos públicos, corte nos patrocínios, interrupção de apoios para fomentar a visibilidade no exterior e até mesmo veto a determinadas propostas e temáticas têm colocado em risco os avanços conquistados nos últimos 25 anos, desde o início da famosa Retomada com Carlota Joaquina, de Carla Camurati, primeiro filme a ultrapassar a marca de 1 milhão de espectadores após o fim da Embrafilme, órgão responsável pela produção e distribuição do cinema brasileiro extinto pelo governo Collor, o que deixou nossa produção à deriva.

Em um momento turbulento como o que passamos atualmente, torna-se ainda mais importante revisitar ou conhecer filmes que marcaram nossa cinematografia e mostraram parte de nossa cultura nas telas. Felizmente, as plataformas de streaming possuem uma seleção bastante diversa, embora ainda restrita, de nossa produção. Apresentamos aqui três exemplos de nossa produção que valem a pena conferir e mais um bônus ao final.

  1. O Som ao Redor, de Kleber Mendonça Filho (Netflix) Primeiro longa-metragem de ficção do diretor de Bacurau – grande sucesso de público e crítica do ano passado, premiado em Cannes – o filme é uma afiada reflexão sobre as relações de violência e poder em nossa sociedade, herdadas do passado escravocrata e latifundiário do país. Construído num clima de suspense, a tensão do espectador vai crescendo ao longo do filme em direção a um final surpreendente.

  2. Cidade de Deus, de Fernando Meirelles e Katia Lund (Amazon Prime) Considerado já um clássico do cinema brasileiro, o filme foi indicado ao Oscar de Melhor Diretor, Roteiro Adaptado, Edição e Fotografia, feito inédito e não superado até hoje. O filme retrata o surgimento e ascensão do crime organizado nas favelas do Rio e tornou-se um novo paradigma do cinema brasileiro, sendo reconhecido no mundo inteiro. Com uma fotografia e edição estonteantes, superou o tradicional público do cinema brasileiro, chegando a mais de 3 milhões de espectadores.

  3. O Bandido da Luz Vermelha, de Rogério Sganzerla (Looke) Inspirado na história real do famoso criminoso dos anos 1960, o filme com clima policial é o expoente máximo do movimento conhecido como cinema marginal, que propôs uma ruptura com o Cinema Novo de Glauber Rocha, pregando uma ideologia de contracultura, em diálogo com o movimento tropicalista do mesmo período. Sganzerla, que tinha apenas 22 anos quando dirigiu O Bandido, é considerado um dos principais nomes do cinema brasileiro.

Bônus: Irmão do Jorel, de Juliano Enrico (Netflix) Em tempos de quarentena, quando os pais ficam muitas vezes trancados em casa com seus filhos, a busca por entretenimento de qualidade para assistir com as crianças é sempre um desafio. Quando pensamos em desenhos animados, dificilmente pensamos em uma produção brasileira, mas Irmão do Jorel é um excelente exemplar dessa técnica que vem crescendo cada vez mais no país. A série foi produzida pela Cartoon Network, com três temporadas, e mostra o cotidiano de uma excêntrica família através do olhar de seu filho caçula. Com traços nonsense e um humor rico e particular, a série é indicada para crianças em torno de 10 anos, mas com garantia de boas risadas também para os pais.

Por Leonardo Mecchi, produtor cinematográfico e sócio-fundador da Enquadramento Produções.

OBS: Se a indústria do entretenimento para você não é só diversão, mas estudo ou trabalho, vale lembrar que no Shapp você encontra professores particulares de audiovisual. Clique em 'Home' para saber mais do aplicativo.

Comentários

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro!


Comentar